quinta-feira, 17 de dezembro de 2009

Radiohead - Nude



Radiohead é uma banda que causa controvérsias no mundo da música. Para alguns, é de longe a melhor banda das duas últimas décadas, possui o melhor rock alternativo já feito, e aos mais exagerados, uma das únicas bandas que prestam na atualidade. Para outros a opinião caminha do lado oposto, afirmam que Radiohead é endeusado pela mídia e superestimado por fãs. Opiniões e gosto musicais são discutíveis, mas fatos não. A verdade é que Radiohead – a banda inglesa formada em 1988 sob o nome de “On A Friday” – conquistou milhões de fãs pelo mundo e por onde passa deixa estádios lotados para apreciar sua música.
Em 2007 a banda chegou ao seu sétimo álbum, intitulado de IN RAINBOWS, e se Radiohead divide opiniões entre os admiradores e críticos, “In Rainbows” dividiu opiniões entre os próprios fãs da banda. Enquanto alguns preferem ignorar o álbum sob o pretexto que produzi-lo foi o maior erro cometido pela banda em toda sua carreira, temos inúmeros fãs que dão total apoio ao álbum, para os quais não faltam elogios para descrevê-lo.
Se perguntarem minha opinião sobre esta discussão sou direto: In Rainbows é um dos melhores álbuns produzidos pelo Radiohead. Não é necessário ser um gênio da música para saber que é raro uma banda chegar ao seu sétimo álbum com tanta força e tantas músicas boas quanto os álbuns que a consagraram no auge. No caso de Radiohead, tentam comparar In Rainbows com álbuns fantásticos como “Ok Computer” e “Kid A”, produzidos em 1997 e 2000 respectivamente. Se por um lado In Rainbows não consegue superar seus antecessores, consegue trazer músicas lindas e experimentais com o tempero depressivo que sempre foi uma identidade do Radiohead, como a canção NUDE.
Embora a música supracitada tenha sido tocada ao vivo a primeira vez em 1997, foi aprimorada e selecionada para um álbum apenas dez anos depois, sendo o single mais ouvido de In Rainbows, e o mais aclamado pela crítica. Nude tem um perfeito tom melancólico, com uma carga bem depressiva que pode não agradar àqueles acostumados a canções felizes, mas que afeta o emocional de qualquer ouvinte. O baixo da música é um show à parte; tente ouvir Nude deixando o baixo em primeiro plano e os falsetes do vocalista Thom Yorke em segundo e você notará o poder da música que está entrando em seus ouvidos.
Nude é apenas uma amostra do que o In Rainbows oferece. A canção que diz “não tenha grandes idéias, elas não irão acontecer” é um aperitivo para qualquer um se deliciar com este álbum da banda inglesa, que pode não ser a maior das últimas décadas nem uma banda qualquer superestimada por fãs, mas que no mínimo tem competência para chegar ao sétimo álbum com a vitalidade de uma banda em seu auge.

19 comentários:

Andressa disse...

Acordei hj e o primeiro album que botei pra executar foi este *.* Linduu! Acordei mais feliz! =D

Pedro disse...

Heeeey...Nunca ouvi ...Hehhheh
A única coisa que eu conheço deles é aquele último album( eu acho) da capa colorida!!
=)
Bom quando minha net tiver boa vou baixar algumas musicas deles!!!

Avassaladoras Rio disse...

Querido amigo avassalador... otima proposta do blog e a escolha foi excelente!

baobah disse...

o q eu posso dizer é q os falsetes do thom são legais :) e o baixo é ótimo mesmo, além disso tudo, amo qndo vc canta essa música s2

Equipe CP disse...

Olá!
Passando para avisar que sua foto foi postada em nosso blog.
Obg por participar!

A propósito Radiohead é tudo!
Principalmente "Creep".

FabioZen disse...

Como não sou fã é dificil simpatizar!

Vestibulando disse...

Gabriel, td bem?

nossa equipe, como todo time jovem, é movida à música, principalmente rock (ou pop rock). Mas, chegamos a um consenso aqui, de que Radiohead já teve fases melhores. Além disso, não aguentamos mais a cara sempre confusa do Thom York. Rs. Parece que ele está sempre com alguma dúvida. Rs.

Vamos continuar nossas conversas!

Abs.

www.blog.maisestudo.com.br

Anônimo disse...

Cara eu gosto, o que importa é que tem seus fãs e até faz sucesso, mas essa desses comentários sempre existem o negócio é não ligar para isso.

BLOGdoRUBINHO
www.blogdorubinho.com.br
www.twitter.com/rubenscorreia

K∂riиє* Smith. disse...

Nossa nem sabia que a banda ja' tinha gravado 7 albums, aqui na Irlanda ela nao e' tao divulgada, gosto de algumas musicas,mas nao sou louca pelo som deles nao, acho uma banda mediana...

Online na web disse...

Este tipo de banda não faz meu estilo, mas a postagem está bem escrita. Parabéns

Michael Levesque disse...

Putz cara...odeio Radiohead...

Thiago Damião disse...

Não conheço muito da banda, mas vou atrás ainda
hehe

Priscila disse...

Devo pesquisar mais sobre a banda !
Parabéns pelo postagem .

carlos felipe disse...

In Rainbows é legal, mas naum supera Kid A, nem o Ok A computer..achei menos ''inovador'' do que esses dois..

Edson disse...

eu acho o álbum excelente. ouçam com atenção tb "jigsaw faling into place". é viciante. qt mais ouço, mais gosto

Tiago RT disse...

curti essa banda

Maiane disse...

Muito verdade tudo que disse... No inicio me surpreendi pela imparcialidade e no fim, disse exatamente o que eu penso... não interessa o que é ou deixa de ser, o que importa são os fatos. E até hoje vemos o radiohead passar bem por essa onda de novidades, crticas... não se alienou. Então, não vejo nada de negativo no In Rainbows. Pelo contrário... enfim. é uma questão de opnião.

Maiane disse...

Ah sim! jigsaw falling into place é viciante, no mínimo... (concordando com o Edson)

Corsário Satã disse...

sOu meio novato nessa coisa de ouvir radiohead... mas ouvi o ok computer, o hail to the thief e o in rainbows, e acho que o último não fica atrás em nada.

Jigsaw é sim viciante e instigante, e Bodysnatchers tbm me pegou de jeito (qnd ouvi pela primeira vez parecia que o Thom estava entrando na minha cabeça, pegando oq eu estava sentindo e transformando em música, ali na hora).

"Has the light gone out for you?
Because the light's gone for me
It is the 21st century
It is the 21st century
It can follow you like a dog
It brought me to my knees"

arrepiante.

Postar um comentário