quinta-feira, 4 de fevereiro de 2010

Radiohead - Karma Police


Ainda me lembro daquele dia, no colegial, quando a professora de inglês pediu para que cada um dos alunos escolhesse uma música, na qual iríamos passar as próximas aulas ouvindo e analisando a letra. Eu, que estava louco para exibir meu OK COMPUTER do RADIOHEAD, escolhi a sexta faixa do álbum, a linda KARMA POLICE. Em casa fui fazer um relatório sobre a letra para entregar na próxima aula. Li a e reli algumas vezes a letra, e a única coisa que consegui pensar na hora é que ter escolhido essa música tinha sido um dos piores erros de minha vida escolar.
Enquanto todos os alunos teriam escolhido letras que transmitiam uma mensagem simples (como, por exemplo, “I will always love you”), eu estava imerso em diversas metáforas e pensamentos complexos encaixados perfeitamente em uma melodia por Thom Yorke e sua turma. Sim, eu dificultei minha própria nota.
Era uma questão de pesquisa, um olhar filosófico e um pouco de viagem para tentar se aproximar da proposta do Radiohead com Karma Police.
Comecei pesquisando sobre o álbum em si, o Ok Computer. Qualquer fã do Radiohead sabe o valor que esse álbum tem, e mesmo quem não gosta da banda, reconhece a importância desse álbum para a indústria musical. Sempre fui viciado nas músicas do mesmo, mas nunca tinha parado para analisá-lo como conjunto: metáforas, criticas, questionamentos, genialidade. Ok Computer coloca o capitalismo na cruz e não economiza pedras para detoná-lo, tudo com a sutileza dos teclados, do violão e da voz de Thom Yorke.
Quanto à música em si, encontrei diversas entrevistas que poderiam ajudar a “desvendá-la”. Na primeira, por Thom Yorke, era dito que Karma Police criticava as corporações. Há sentido, certo momento da letra o eu lírico critica seu chefe, talvez representante da corporação. Em uma entrevista com todos da banda, disseram que era só mais uma crítica ao capitalismo, como em todo o álbum (sabe aquela resposta que a banda dá quando está de saco cheio de perguntas? Então). Por fim, a mais divertida veio por Jonny Greenwood, guitarrista da banda, que disse que a música simbolizava a insanidade, tudo era uma metáfora da loucura, por isso nada fazia sentido na letra. Não deve estar nem perto do que eles realmente pensaram, mas não deixa de ter sido uma análise engraçadinha.
Interessante também é o nome da música. Polícia do carma é praticamente uma piada interna da banda, quando um integrante fazia algo errado, outros brincavam que essa tal polícia iria pegá-lo. Bacana, porém, não consigo imaginar ThomYorke se divertindo com seus companheiros entre piadas no estúdio.
Levei a análise insana da música, reunindo todas essas pesquisas e falando da beleza depressiva da melodia. Como o esperado, todos levaram letras fáceis e por isso, fui o único elogiado pela análise, que gerou um grande debate e uma boa nota para mim. No final, notei que ter escolhido Karma Police me fez aprofundar no Ok Computer, além de conhecer muito mais sobre a música que eu já ouvia há muito tempo, e de sobra levei uma grande nota para a casa. Não, não foi um dos piores erros que já cometi, e sim um acerto tão grande quanto ouvir Radiohead.

veja também sobre radiohead:
- Nude
- All I Need

19 comentários:

Julio Kyser disse...

tsc...
exibido!

Karma Police, às vezes pode ser prejudicial à saúde mental interpretar músicas de Radiohead, mas a escolha foi boa
XD

baobah disse...

Trabalho da MArley! O do Andy era diferente, a gente tinha que falar porque a música escolhida era especial para nós. Eu escolhi "Live and Learn" do The Cardigans :D

O post tá bem legal, cheio de informações legais e talz, do jeito que eu gosto, amor!

beijos
eu te amo.

palavras ao vento disse...

muito boa essa musica...boa escolha ...

fabis disse...

nao sou muito fa desta banda mas achei o som legal parabens pelo blog


http://afffveioo.blogspot.com/

Rodrigo disse...

Po mano, não curto muito não, mas parabens

visite
www.relaxamane.com

Daani disse...

Aaaah, adoro seu blog! Depois de papear ctg hoje à tarde, resolvi vir ler seu blog mesmo nãao gostando mooito de Radiohead e estando feliz.

Críiitica à sociedade, adoro.

Adorei a postagem, hahaha, CDF, sempre conseguindo notas, tsc! :)))
Bom, adoreei (pra variar)!
Beijo pozzinho :*

www.oquevoceachade.blogspot.com

felipe disse...

os caras do radiohead são meios loucos
para falar a verdade nunca escutei esse som mais ñ curto muito vou procurar outros post vai q acho algum legal
apesar q vc escreve muito bem parabens

Esther Saldanha disse...

Bacana, eu ainda não tioha nem ouvido falar da banda. Pelo seu vídeo a banda parece muito interessante, essa música é bem melodiosa e com um bom instrumental.
Seria legal você postar a tradução da música também para conhecermos-a melhor. Até porque meu inglês é bem fraquinho, hehehe.

abraços

Mentealternativa SA. disse...

Salve salve Gabriel,Que bom que curtiu nosso blog cara.As atualizações estao meio devagar porque estava com problemas paara acessar a net,mas já ta resolvido,assim que tiver novidades te do um toque aqui.
POw,belo post ae,vc escreve bem mesmo,esse do Radiohead dá até pra classificar como uma crônica,massa mesmo.O Blog ou vc tem twitter?
manda pelo e-mail bogalternativo.sa@gmail.com
abraços!

Canto do Lufa disse...

eu gosto desse música.

Esa banda nao paa de bombar

Alam Oliveira disse...

Uma das coisas que acho mais interessantes em seus posts é a contextualização e descrição minuciosa do conteúdo que você se propõe expôr.
A música, de fato é boa, mas o seu comentário sobre ela e a análise. Além de fazer agente viajar no período do ensino fundamental e médio quando os professores de inglês faziam isso (já fiz isso também, mas como sempre fui muito preguiçoso, sempre fazia a tradução e interpretação de "Imagine" rs Enfim, mas vc fez eu resgatar estes momentos.
Teve uma vez na oitava série a professora pediu pra gente ensinar ingles pros meninos do pré, foi muito divertido, agente passou um mês ensinando pros meninos "Ebony and Ivory", e até hj tem meninos (agora jovenzinhos) que lembram da música e vêm falar com agente, enfim bons momentos!

Putz, eu que achei que iria comentar sobre aquela música q vc já definiu "a linda Karma Police", enfim, mas na boa mesmo, gosto do seu estilo de escrita!

Tenha uma ótima semana! Valeu pelo comentário! E um grande abraço!

Luane disse...

Gostei do blog!
Isso de você escolher uma música mais dificil e tals...autenticidade! Escolheu a que gostava mesmo, e não qualquer uma fácil.

E gostei da música (:

Tatiane disse...

Não sou fã de Radiohead,qualquer dia desses fale sobre Deep Purple!!!

MenteAlternativa SA. disse...

Olá!
demorou mais saiu,novidades no meu blog!,da uma força lá.
abraços!

Fabíola disse...

Não conheço essa banda. Você deveria ter colocado a música no seu texto. Eu adoro textos complexos porque eles sempre dão o que falar, sempre dão margem para algum debate interessante.

Antônio Marlos disse...

Tá aí uma banda que nunca ouvi falar/ ouvi em CD e tals.
Mas pelo o post vejo que o trabalho deles é foda.
Parabéns pelo o blog!

FabioZen disse...

Radiohead!Como odiei quando eles anunciaram que o computador tinha vencido.Dai os Stones começaram a introduzir efeitos mais digamos assim,efeitos digitalmente trabalhados e me rendi.Radiohead era o profeta da era tecnológica hehe!

Pobre esponja disse...

Radiohead: Yeah!!
Fora a genialidade, a sensibidade e as letras "reais", tem nos seus clipes verdadeiros marcos de genialidade.
Amo esse som e muitos outros.

abç
Pobre Esponja

Pedro disse...

Encontrei este belo artigo quando procurava justamente por interpretações de significados que esta música pode ter. O termo Karma já de si é misterioso e o seu significado pode alterar consoante culturas e religiões. Desconhecia o termo polícia do Karma, já existia antes da música/ piadas dentro da banda?
Cumprimentos e muito obrigado pela envolvente história que nos contaste :)

Postar um comentário