quinta-feira, 5 de agosto de 2010

Death Cab for Cutie - Lightness


Olá queridões.
Meus últimos três posts, pelo que vejo, deixaram de lado um pouco a proposta de descrever sobre determinadas músicas para discutir assuntos mais amplos, como o indie-rock, o indie-electronic, projetos paralelos e o fenômeno Coldplay. Com o post de hoje, vou retomar a ideia de debater sobre uma música em específico, até que me apareçam novos temas mais genéricos a serem discutidos.
E a canção do dia ééé... LIGHTNESS, do querídissimo DEATH CAB FOR CUTIE.
Se quiserem saber mais sobre a banda e um pouco sobre uma outra canção dela, é só entrar nesse post aqui. Hoje vamos, de fato, tentar nos concentrar em uma análise de Lightness.
Sobre a letra da canção: simbolismo, metáforas, sugestões, poesia. Lightness tem todos elementos necessários na letra para encantar todas aquelas pessoas que adoram brincar de decifrar o que o "poeta" está tentando dizer, ou para viajar em cima da composição mesmo. Logo, não podemos afirmar nada com certeza sobre o que a mente criativa de Ben Gibbard quis dizer, mas uma sugestão bem aceitável é sobre o bom e velho dilema entre o coração e a razão. Uma história onde um rapaz gosta de uma moça que não o corresponde por causa da razão. Um verso mais simples, traduzido, diz: "Seu coração é um rio, que flui de seu peito para todos os órgãos. Seu cérebro é a barragem, e eu sou o peixe que não consegue chegar ao núcleo". Obviamente, sendo o autor da canção o possível rapaz, no verso seguinte se esforça em tentar convencer a moça que ela deve seguir o coração: "Você não deve pensar sobre o que você está sentindo" ou "Os instintos são enganosos, eles não te dizem o que você realmente deseja". E o enigma da canção fica no refrão, formado por três simples palavras: "Ivory Lines Lead". Alguém que sabe muito de inglês saberia informar o que ele quis dizer com essa expressão? Bem, independente de você saber inglês, o que você acha sobre o debate "Razão X Coração"? Minha opinião é.....

Quanto à melodia, uma beleza INCRÍVEL. Garanto que tem uma das melodias mais bonitas que já postei aqui, aquela que traz no pacote elementos para tentarem fazer você chorar, MESMO. No refrão, o vocalista ainda faz um "who-hooo" viciante e depressivo que, para mim, é a marca da música. Você deu play no vídeo e se encantou, não é?
Aliás, o album em si que contém essa música, o tal do TRANSATLANTICISM, tem um 'quê' de Radiohead, tanto na melodia mais depressiva, quanto nas letras mais viajadinhas. A diferença é que Death Cab procura ir para um lado de discutir mais o amor, ao invés de críticas ao capitalismo, à sociedade, enfim... Talvez Death Cab for Cutie seja um pouco mais... humano.

**
veja o melhor comentário da semana clicando AQUI
(sim, os melhores comentários ganham divulgação especial no meu blog :)
**

ps1: Death Cab? Dedicado à minha namorada, claro! :)
ps2: Minha última tentativa, acho: se você é a pessoa que encontra meu blog todo dia no google pelos dizeres "comentários acerca da música karma police dos radiohead", me dê um alô pelos comentários, vai.

17 comentários:

CAMYS disse...

Obrigada Gabriel pelo comentário, suas palavras é o que me estimulam mais e mais a escrever, muito obrigada mesmo, não tenho palavras pra agradecer o quanto fiquei contente.

Pela blogosfera existem muitas pessoas com excelente potencial, como o escritor que citei na resenha, e acho que uma das funções de se ter um blog é poder divulgar esses talentos.

Quanto a namoros virtuais, cada vez mais aceitos e presentes, confesso que também tive uma história assim. Um romance pré-fabricado com data de validade, onde no fundo nós não nos conhecemos de verdade. É o que acontece com a maioria dessas relações onde as pessoas não se envolvem de fato, não se conhecem. Acabam justamente pelos fatores que citei no texto.
Acredito que relacionamentos virtuais estarão mais presente ainda na nossa sociedade. A popularidade das redes sociais é um exemplo disso, não é mesmo?

Não conheço o som do Death Cabe, embora recentemente tenho ouvido falar muito deles. Acho que vou ouvir pra conhecer melhor. De qualquer maneira, obrigada pela dica e pelos elogios ao texto. você é sempre bem vindo no Teoria do Playmobil, sempre será =D

www.teoria-do-playmobil.blogspot.com

Pedro disse...

Gostei da melodia, gostei da letra.
As metáforas são bem complicadas, a melodia é diferente e 'melosa', mas me faz bem, eu fiquei bem com ela.

"linhas que levam o marfim"(?), é isso ou é algo parecido, fiquei bem confuso.


(Tô gostando do blog novo, mas ainda tô sem coisas pra escrever, parece que tudo o que eu pensava vazou de dentro de mim e eu fiquei com um enorme vazio, mas tá indo bem!)

=)

Ruvis ;) disse...

ebaaa mais um post pra mimm! (mesmo sendo a meu pedido...

Death cab é o simbolismo em forma de banda mas discordo em "A diferença é que Death Cab procura ir para um lado de discutir mais o amor, ao invés de críticas ao capitalismo, à sociedade, enfim.." porque eles são bem criticozzinhos talvez não muito intensos mas mostram bastante letras com criticas a sociedade, claro que dentro do nosso emo world. As músicas mais criticas são do "the photo album" e do "you can play these songs with chords" quer um exemplo?
"Whenever i come back, the air on railroad is making the same sounds.
And the shop fronts on holly are dirty words (asterisks in for the vowels).
We peered through the windows... new bottoms on barstools but the people remain the same, with prices inflating.

As if saved from the gallows.
There's a bellow of buzzers and the people stop working and they're all so excited."



O lance do refrão "Ivory lines lead" acho que ele se refere a uma garota (Ivory) que guia as filas. FOi o q eu entendi pela letra... Eles fazem referencias a garotas mesmo como em "I loved you Guinevere" que é o refão de "we laugh indoors" mas nunca se sabe pq as palavras que eles usam são únicas...

CAMYS disse...

Gostei dessa musica, e fui ouvir mais Death Cab, baixando o material da banda pela net e cara...AMEI! ÓTIMA DICA QUE VI AQUI! Em breve provavelmente estará entre os meus vicios musicais x)
Gostei mesmo!
vlwwwwwwwwwwwww!

Willians disse...

gostei muito do blog, voltarei sempre! bons texto , bem contextualizados.

www.irishpunkbrasil.blogspot.com

♥♥NaNnA BeZeRrA♥♥ disse...

Poesia! Isso é que eu sempre esperei "escutar" nas músicas. Pena que, atualmente, existe uma certa limitação quanto a originaidade. Tudo é muito reciclado.
Gostei da dica.

beijo e um queijo

Leticia/Leonardo disse...

Olá!!
ja sigo seu blog!!
hehe
mto bom o post!
nao estou ouvindo mto musicas
nao da tempo menino
rs
bjos
passa la
http://novalexandrianet.blogspot.com/
acessem

Willians disse...

dat que eu nãoe scutava isso haha lebrou velhos tempo baby... foi bom ver isso aki.

Franciele Valadão disse...

Adorei a música. ;)

Adilson Guimarães disse...

Ei cara, seu gosto musical mais uma vez me impressionando. Curti muito a música. Parabéns pelo blog.


www.catarseonline.blogspot.com

semsabor disse...

Segunda vez que venho aqui ,e você está falando sobre uma banda que eu gosto,DCFC é um dos meus vicios,faz parte da trilha sonora da minha vida,uma delicia de se escutar !

http://semsaboor.blogspot.com/

Pablo L. disse...

bom post e bom blog.

Diego Araújo disse...

God Music!!

Ice Games Brasil disse...

Blog muito da hora ! Parabéns, vi umas músicas de bandas que eu conheço e gosto e gostei mais ainda!

Abração!

http://icegamesbrasil.blogspot.com/

Letícia disse...

Death Cab é banda para qualquer hora...
essa musica seria boa para um jantar a luz de velas (risos)!
ótimo post!

Guilherme Lombardi disse...

Excelente texto, eu adoro death cab

PENHA''' disse...

Não conhecia a banda, mas me deu vários motivos para querer conhece-lá,
gosto de músicas que tenham conteúdo
enfim (:

Postar um comentário